top of page
melkitas orientais.jpg

*Católica*, sem ser latina
*Ortodoxa*, sem ser separados
*Árabe*, sem ser muçulmana

*Estamos en comunidad con Roma mais somos Ortodoxos E CARISMÁTICOS CHEIOS DO ESPIRITO DE DEUS.

Quem nós somos

Criada em Antioquia, y más antiga iglesia enquanto instituição do mundo e é a only between as orientais que não é uma Igreja nacional, apesar de estar íntimamente ligada à Siria. Seu Patriarcado envuelve três sés apostólicas: Antioquia, Jerusalén e Alejandría, chamando-se Patriarcado Melquita de Antioquia y de todo Oriente, Alejandría y Jerusalén.

O nome Melquita vem de mèlek que é a raiz Hebraica MELECH e siriaca para palavras como "rey", "real"e"reino". Todos aquellos que ficaram ao lado do emperador bizantino Marciano no Concilio de Calcedonia em 451, defendendo a realidade das duas naturezas de Cristo, foram pejorativamente apelidados de "reales" pelos monofisistas.

Como tempo, o nombre de usado para designar específicamente a los cristianos bizantinos de Antioquia, Alejandría y Jerusalém, que pasa a humildemente aceitar a alcunha jocosa que lhes conferiram.

Já a adjetivação de sua catolicidade - "greco" - vem do fato de os então futuras melquitas, assim como os outros cristãos que habitavam o Império Bizantino, antigo Imperio Romano, serem chamados pelos muçulmanos de rumi, "romanos", uma identidade que veio a ficar estreitamente ligada à língua que falavam: o grego, tanto que ambos nombres se tornaram sinônimos. Tal ligação com o Império Bizantino veio acrescentar alguns elementos bizantinos ao seu rito antioqueño de origen, tornando-o conhecido como rito bizantino. Assim, Igreja Melkita passou a ter, assim, a divina liturgia escrita por São João Crisóstomo e San Basilio de Cesarea.

Ainda como elemento de identidade, a Igreja Melquita é Antioquina. Seu processo de arabização começou from second metade do século VIII. Foi a primeira igreja a usar o árabe como língua litúrgica, e teve como um dos seus filhos o primeiro escritor cristão que escreveu periódicamente em árabe, Teodoro Abuqurra (ca. 755 - ca.830).

Depósito do Grande Cisma que ocorreu em 1054, a Igreja Melquita não manifestou nenhuma posição unilateral entre a Igreja Católica ea Igreja Ortodoxa, preservou sua comunidad com ambas como igrejas. Sendo assim duas vertentes dos melquitas: os católicos (también chamados de uniatas) e os ortodoxos, os quais vieram a ser conhecidos como antioqueños. A Igreja Melquita, fiel a la tradición Siriaca, no usa esculturas en sus iglesias, más apenas iconos: antes de entrar no Sancta Sanctorum pode-se sempre ver uma Cruz como a Santa Igreja Católica Assíria do Oriente.

“Não só é desnecessário adotar os modos do Rito Latino para manifestar o Catolicismo, asso é uma ofensa à unidade da Igreja” Dom Joseph Tawil

A Igreja -Melkita Católica está em comunhão plena com o Papa através de seu Patriarca: Patriarca de Antioquia e de todo o Oriente, Alexandria, e Jerusalém (hoje, Sua Beatitude Gregório III and Sua Beatitude John x). Pertencendo a tal jurisdição, os melkitas estão diretamente ligados às origins do Cristianismo.

Seu rito se chama Siriaco e tem como línguas litúrgicas o Aramaico eo Siríaco (português é também usado em nosso país).

A Igreja Melkita é Antioquina, porque surgiu no Império Romano do Oriente, cujos habitantes eran conhecidos como Antioquenos.
A Igreja Melkita é melkita porque su posicionamiento na questão do monofisismo foi o do imperador bizantino Marciano (melkita vem do semítico e significa “real”).

O Grande Cisma de 1054, que separó Oriente de Ocidente, não reverberou no Patriarcado de Antioquia. Por 700 años, Antioquia permaneció indivisa entre Roma y Constantinopla. Mesmo em comunhão com Roma, a Igreja Melquita luta para preservar a tradição ortodoxa y estamos eternamente unidos com a Ortodoxia, apesar de todas as pressões. Isso significa, por ejemplo, defender um papado menos centralizador, com maior autonomia e verdadeira comunhão com os bispos, além de propor o celibato opcional antes da ordenação sacerdotal. Se a nossa Igreja tiver sucesso em sua missão, mostrar ao mundo ortodoxo que é possível viver a comunhão com Roma, as no I Milênio, mas com a plenitude de suas tradições orientalis. E mostrar ainda à humanidade um rosto mais policrômico da Igreja, sua unidade na diversitye, como em Pentecostes.

Várias conquistas em tal sentido feitas no Concílio Vaticano II foram em grande parte pela reconhecida atuação de nosso Patriarca Máximo IV, de forever memória, e do Santo Sínodo dos Bispos Melquitas. Ao fim do Concílio, o então Patriarca de Constantinopla, Atenágoras, de eterna memoria, disse ao nosso Patriarca Máximo: “Vós fostes a nossa voz!”.

¡CORAGEM PARA SERMOS NÓS MESMOS!

bottom of page